Energia solar do futuro:

dobrável, portátil e leve!

Você já imaginou portar sua própria energia solar? Em um futuro próximo, isto poderá se tornar realidade e você poderá leva-la em sua própria mochila!

Um novo tipo de tecnologia solar, miniaturizado faz com que cada célula seja do tamanho de um fragmento de glitter, podendo ser usado em qualquer lugar. As células minúsculas são feitas de silício de alta eficiência, como nos painéis solares padrão.

Chamado Dragon SCALES ("SemiConductor Active Layer Embedded solar"), ou, informalmente, "brilho solar", este é o novo produto da mPower Technology. Estas pequenas, leves e flexíveis células solares podem ser integradas à dispositivos de energia ou sensores de qualquer forma ou tamanho, satélites, drones, eletrônicos biomédicos e de consumo e até mesmo no vestuário, e podem ser dobradas como papel para fácil transporte. A tecnologia fotovoltaica ativada por micro sistemas está em desenvolvimento há vários anos, mas deu um grande passo para o futuro recentemente, após a mPower Technology assinar um contrato de licenciamento com a Sandia National Laboratories.

Outra vantagem é que esta tecnologia também pode ser usada para a energia solar nos telhados. As células leves são mais fáceis de mover e mais rápido de se instalar, o que ajuda a reduzir o custo de instalação. Como as células estão dispostas em uma rede de malha densa, elas são mais resistentes também. Se uma célula perde energia ou está temporariamente sombreada, ela não afeta todo o sistema, o resto das células continuarão a funcionar. Uma vez que as células são mais duráveis do que painéis tradicionais, elas vão durar mais tempo, tornando o custo de energia mais barato. O projeto também requer menos material para a mesma quantidade de energia.

O custo da energia solar vem caindo desde a última década, e o seu uso vem se popularizando a medida que as pessoas se conscientizam da importância em se obter energia limpa e preservar o meio ambiente, pondo de lado os combustíveis fosseis. Esta nova tecnologia poderá ajudar a alcançarmos padrões energéticos mais elevados sem agredirmos a natureza a um custo mais barato,  acessível  e eficaz .

14/03/2017

Por: Cláudia Monteiro

Fonte: https://www.fastcoexist.com

A energia do futuro pode estar no seu quintal: gás derivado de grama.

Na Inglaterra, uma empresa espera em até 2018 começar a converter grama em gás biometano.

Com o aquecimento global, nos vimos a procura de alternativas para frear a produção e consumo de combustíveis poluentes como o combustível fóssil. A energia limpa é a solução para um mundo mais sustentável, apesar de a princípio não ser barata, tem se investido muito em energia eólica, solar e até das marés.  Agora uma empresa Britânica, pretende transformar grama em energia limpa e acessível em todos os lares.

De acordo com a empresa Ecotricity  o gás obtido da grama é capaz de fornecer todas as necessidades de gás para 97% das casas da Grã-Bretanha, bombear anualmente 7,5 bilhões de dólares para a economia e criar uma nova indústria com até 150.000 postos de trabalho. Porém seria necessário uma quantidade de grama maior do que a encontrada no seu quintal ou jardim!

A chave, de acordo com o fundador da empresa, Dale Vince, seria tomar a grama de terras agrícolas marginais e quebrá-la em um digestor anaeróbio. A grama seria transformada em biometano dentro de 45 dias e depois injetada na rede nacional.

 

A empresa recebeu permissão de planejamento para construir o primeiro de seus moinhos de gás verde (Green Gas Mills), que está programado para entrar em operação em 2018, e que a Ecotricity diz que produzirá energia suficiente para abastecer 4.000 casas.

 

Claro, 4.000 casas, embora impressionante, é um longo caminho abaixo de 97 por cento de todas as casas na Grã-Bretanha, Vince afirma que há suficiente terra arável para fornecer a matéria-prima, mas que sua conversão exigiria a construção de outros 5.000 moinhos.

De acordo com Dale Vince este é um  um empreendimento maciço e  permanente. A relva continua crescendo, não se esgota. É benéfico ao meio ambiente porque a pastagem é administrada e se torna habitat da vida selvagem enquanto a grama está crescendo, e pode ser colhida na hora certa do ano".

"Enquanto não competir com a produção de alimentos, o gás verde pode ser realmente útil para fazer com que o Reino Unido encontre um caminho mais limpo e de baixo consumo de carbono", disse Doug Parr, cientista-chefe e diretor de política do Greenpeace UK.

 

A agricultura não precisa simplesmente ser parte do problema no combate às mudanças climáticas, mas a produção de gás verde a partir da grama reduzirá as emissões de carbono. Através da inovação. poderemos alcançar alguma solução e ao mesmo tempo apoiar a produção de alimentos, melhorar a qualidade dos solos, criar e melhorar os habitats da vida selvagem também.

28/11/16

Fonte: http://www.seeker.com

 "Árvore do Vento", energia verde

Que tal ter uma "Árvore do Vento" em seu jardim?

A primeira  "Árvore do Vento" de Genebra na Suiça, foi instala em Janeiro, e ao contrário dos grandes e espaçosos geradores de energia eólica, ela pode ser instalada no seu jardim, quintal, ou mesmo na sua rua!

Mas o que é a ´"Árvore do Vento"?

Ela é nada mais nada menos que uma árvore com um tronco de aço onde quase 100 folhas de plástico ficam penduradas funcionando como pequenas turbinas que produzem energia limpa e silenciosa e é capaz de satisfazer 80% do consumo de eletricidade de uma residência com 04 pessoas.

A "Árvore do Vento" foi criada por um francês e estilizada por um suíço. Após 03 anos de pesquisa, o primeiro protótipo com 11 metros de altura foi instalado na cidade da Bretanha, oeste da França. Seu funcionamento é simples, cada folha possui um gerador que é impulsionado pelo vento. Ao girar, as "folhas" produzem energia. É o acúmulo de rotações que permite gerar energia.  As "folhas" começam a se mover entre 05 à 20 segundos de vento, girando desde o primeiro momento em que o vento atinge dois metros por segundo. Sua potência é calculada em 3,1 quilowatts. Por detectar pequenas correntes, o número de dias nos quais a árvore pode produzir eletricidade aumenta. A intenção é que ela aproveite todo tipo de vento, inclusive pequenas correntes de ar que circulam nas cidades entre prédios e ruas, para gerar energia.

A empresa tem como previsão a produção de "Árvores do Vento" em larga escala a partir de 2017. O custo de cada árvore está orçado em torno de 30.000 francos, um valor ainda elevado para um cidadão comum. Porém como alternativa mais em conta, o idealizador do projeto diz que é possível colocar apenas as folhas em telhados ou estradas para produzir energia para lâmpadas ou carros que precisam recarregar bateria durante suas viagens.

16/02/16

Por: Cláudia Monteiro

Fonte: RTS info

Usina Solar que gera energia à noite

A cidade Marroquina de Ouarzazate, ao norte do Marrocos, é conhecida popularmente como “a porta do Saara”, devido a sua proximidade com o famoso deserto africano. Como há uma grande incidencia de raios solares na região, as autoridades marroquinas estão finalizando a construção de um complexo de quatro enormes usinas de energia solar interligadas. O país pretende usar áreas inexploradas do deserto para se tornar uma superpotência global na geração de energia solar.

A primeira usina do complexo, chamada Noor 1 (Luz 1, em árabe), entrou em operação já sendo considerada a maior usina solar do mundo. Ela tem 500 mil painéis solares dispostos em forma de lua crescente, que se curvam conforme a posição do sol.

 

Os painéis curvos captam o calor do sol durante o dia e concentram o calor em um tubo cheio de óleo.  O óleo quente gera vapor para gerar eletricidade .

A usina pode armazenar e gerar energia solar mesmo quando está escuro. Mas o que impressiona é que isto é feito graças ao sal!

 

Mas como isso funciona à noite?

 

Usando calor armazenado nos painéis, o sal é derretido e aquecido a mais de 500˚C. O sal permanece quente o suficiente para prover energia durante 8 horas por noite. É a energia solar limpa.

 

Silo contendo sal que será aquecido

A usina será capaz de fornecer energia para um milhão de pessoas e é parte do compromisso de Marrocos para obter 42% da sua eletricidade a partir de energias renováveis até 2020.

08/02/2016

Por Cláudia Monteiro

Fonte: BBC

Energia Alternativa X Energia Renovável, qual a diferença?

Primeiro precisamos entender que em nosso planeta encontramos recursos naturais não renováveis e recursos naturais renováveis. Os recursos naturais não renováveis são aqueles que se encontram em quantidade limitada no planeta, por exemplo o petróleo, carvão,energia nuclear , ferro - minérios e metais em geral. É da queima deles que vem aª maior parte da energia utilizada atualmente. Já os recursos naturais renováveis são aqueles que podem ser renovados, como a energia solar, eólica, hidráulica, geotérmica, das marés , desde que sua velocidade de renovação sela respeitada.

 

Entende-se como Energia alternativa  toda e qualquer fonte energética que pode ser adotada como uma substituta a uma fonte convencional. Como exemplo podemos citar o uso do carvão ao invés da gasolina. Neste caso o carvão é  energia alternativa, mas não renovável . Por isso as fontes alternativas não são necessariamente renováveis.

 

As fontes de energia renováveis, são aquelas q tem origem em fonte natural com capacidade de regeneração e sem possibilidade de esgotamento dessa mesma fonte, por exemplo. a energia solar e a eólica.

 

 

Fonte: Techt Tudo