Angola planta mais de 35.000 árvores no combate à desertificação


Com as mudanças climáticas, desmatamento e uso indevido do solo através de práticas impróprias na agricultura, a desertificação acelera em diversas partes no mundo nas regiões de clima árido, semiárido e sub-úmido seco.

Para reverter este desastre ambiental o governo de Angola tomou a iniciativa e, através de seu Ministério do Meio Ambiente e a sensibilização de milhares de cidadãos, plantou mais de 355 mil árvores de 2015 até o ano corrente de 2016 . As árvores foram plantadas nas regiões mais afetadas onde ocorre a degradação dos solos (fruto da pressão exercida pelo homem, através da exploração pela mineração, práticas agrícolas errôneas, uso insustentável de produtos florestais e atividade pecuária intensiva).

A desertificação gera problemas sociais, econômicos e culturais e causa muitos prejuízos. Reduz a oferta de alimentos, causa a infertilidade dos solos, elimina a vida de animais e vegetais e pode gerar conflitos de terras.



O Ministério do Meio Ambiente Angolano pretende implementar um projeto de adaptação resiliente ao clima, trazendo novas abordagens para a produção rural. Além deste, está em vias de implementação o projeto denominado "Promoção do Desenvolvimento Resiliente ao Clima e Reforço da Capacidade de Adaptação para Suportar Riscos de Desastres na Bacia Hidrográfica do Cuvelai”. Todos os esforços tem sido feitos para frear o processo de desertificação no país. Os projetos abrangem os setores da agricultura, meteorologia, educação e saúde, saneamento e comércio entre outros.

Segundo o Ministério do Meio Ambiente Angolano, o combate e a prevenção à desertificação podem ser feitos através do uso sustentável de recursos naturais, da conservação do ambiente e da prática agrícola adaptada às condições ecológicas local.

Fonte: ANGOP - Agência Angola Press

Featured Posts
Recent Posts