Insetos comestíveis: você substituiria carne por insetos?

Ultimamente tem sido criado um certo alarde sobre a substituição da carne em nossas dietas por insetos...

Mas por que comer insetos?


De acordo com a Revista de Química Agrícola e Alimentar da Sociedade Americana de Química, além de ser uma alternativa mais sustentável do que o consumo de carne e peixe, os insetos são uma grande fonte de proteínas além de serem naturalmente pobres em gordura e sem colesterol. Também são ricos em minerais possuindo diferentes níveis de ferro, cálcio, cobre, magnésio, manganês e zinco. Nos tempos atuais, com o corre e corre do dia a dia, acabamos optando por uma alimentação muitas vezes pobre em nutrientes, os quais são importantíssimos para a manutenção do bom funcionamento do nosso organismo. Podemos tomar como exemplo o “ferro” que é um nutriente especialmente importante para o nosso metabolismo e que muitas vezes está ausente em nossas dietas. A falta de ferro em nosso metabolismo pode causar anemia acarretando em cognição inferior, imunidade deficiente e problemas na gravidez, entre outros.




O grilo é a maior fonte de ferro entre os insetos. Já os gafanhotos possuem um alto índice de cálcio, cobre e zinco.






Segundo os pesquisadores, comer insetos poderia ajudar a atender as necessidades nutricionais de uma população mundial que está em pleno crescimento. Se hoje já estamos sofrendo com a fome, imagine em 2050 se a taxa de natalidade continuar crescendo desenfreadamente e não conseguirmos pôr em prática ações para frear as mudanças climáticas? Em muitas regiões do mundo, a área cultivável não consegue mais suprir as necessidades alimentares das populações. Em regiões onde a terra cultivável é escassa, dominada por secas ou terrenos inférteis, e com as mudanças climáticas ocorrendo e mudando o panorama socioeconômico mundial, acrescentar insetos a dieta alimentar seria uma solução viável.


O consumo de insetos é uma iguaria muito comum entre povos asiáticos e há séculos faz parte de suas culturas. A falta de comida devido as guerras, falta de áreas cultiváveis ou a presença de áreas inóspitas, levaram estes povos a adaptar sua culinária. Cerca de 1.900 espécies de insetos já foram documentados como fonte de alimentos a nível mundial. Mas será que nós ocidentais acostumados a carne bovina, aves e peixes nos adaptaríamos a uma drástica mudança alimentar incluindo insetos? Eu, particularmente, a princípio não conseguiria! Há anos atrás viajando pela Tailândia, me deparei com uma barraquinha que vendia vários tipos de besouros fritos. Ao ver aquilo, confesso que fiquei com o estômago embrulhado... não teria coragem para ingerir tal "iguaria", mesmo sabendo que o besouro possui uma concentração de ferro bem mais alta que um bife de carne bovina!. Comer insetos é uma questão inserida na cultura oriental, já na ocidental, há uma maior resistência a esta prática, mas mediante uma situação de fome com escassez de alimentos o ser humano tende a se adaptar...


E você?

Adicionaria insetos a sua dieta alimentar?




Foto: Gráfico - American Chemical Society

Fontes: ONU e Environmental News Network

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Follow Us
  • YouTube Social  Icon
  • Facebook Basic Square